Mais de trezentos funcionários públicos de várias instituições públicas participaram do levantamento de dados e das investigações da “Lava-Jato” para chegar ao topo de comando da quadrilha que tomou de assalto o Brasil, o cara, Lula. Depois da explicação minuciosa feita pelo MPF, o protagonista mor da corrupção disse o seguinte:

“a profissão mais honesta é do político. Todo ano por mais ladrão que seja, tem que ir para a rua pedir voto. O concursado não tem que fazer isso. O político não, é chamado de filho da mãe, do pai, mais está lá pedindo outra vez o seu emprego.”

Contrariando a lógica Lula diz que a profissão mais honesta é do político. Hora, existem sim políticos honestos, assim como existem pessoas honestas em todas as profissões, independente de origem, cor, etnia, idade, sexo, cultura, religião. Mas também existem pessoas más e de mal caráter também, em todas as profissões.

A preferência de quem é mal caráter, bandido, ladrão, é se encostar em uma profissão que não dê trabalho e que lhe renda muita, mas muita grana, por isso a extrema-esquerda quer um Estado grande e inchado, para sustentar seus caprichos. Então a coisa mais evidente é que existam más pessoas na política, pela facilidade em enriquecer. Ele, o político, não necessita sair roubar ou assaltar, ele monta a estrutura de roubo e assalto na forma de Estado, com toda sua orla burocrática protegendo o político de figurar como mentor do sistema que beneficia ele.

Lula denigre a imagem dos funcionários públicos concursados, dizendo que o concursado é menos honesto que o político, pois não precisa pedir voto. Contrariando a lógica, que quem cria o sistema é os políticos, quem faz as leis para roubar os cidadãos é o político, quem incha o Estado é o político, quem determina onde será investido o dinheiro do público é o político.

Os funcionários públicos, são pessoas que se esforçaram durante sua vida, estudaram, passaram em uma prova aplicada igualmente para todos que queiram concorrer. São méritos dessas pessoas ir em buscar de um emprego que ofereça uma remuneração melhor e com estabilidade. No setor privado, combalido pelo tamanho do Estado que este tem de sustentar, não existem garantias de emprego por tempo indeterminado, devido ao sufocamento do Estado sobre o setor privado muitas vezes o empreendedor precisa demitir para pagar impostos e equilibrar as contas para conseguir manter suas portas abertas gerando riquezas e renda, por isso que muitas pessoas tentam passar em um concurso público.

Lula avacalha com os trabalhadores públicos, que estão salvando o setor público da roubalheira e do que resta dos cofres do Estado. Para Lula, esses trabalhadores públicos concursados são os vilões e ele e seus comparsas políticos são pessoas honestas, apesar de de serem ladrões e do quanto roubaram.

Então os trabalhadores honestos, concursados, que tem todos os méritos pelo seu próprio esforço, que se dedicam ao seu trabalho com afinco, esses trabalhadores na visão de Lula e dos Petistas, são todos ladrões e não tem honestidade.

 

Anúncios