A Petrobras sofreu durante os últimos 13 anos o golpe aplicado pela extrema esquerda que se apoderou do poder e a usou para benefícios dos companheiros, dos amigos empresários, dos camaradas partidários, transformando a estatal em uma mina de desvios de dinheiro para seus bolsos. O MPF estimou em R$ 42 bilhões os desvios com corrupção na Petrobras. O sindicato dos petroleiros não ficaria de fora da festa, usou os trabalhadores para apoiar os desvios e a corrupção institucionalizada dentro da empresa, colocando seus sindicalistas de “confiança” na prelacia de maior prestigio e comando na hierarquia da estatal e de seu fundo de previdência Petros. Esta última também deixou um rombo de R$ 22 bilhões em 2015, dinheiro subtraído dos próprios trabalhadores, que depositam parte de seu salário para o fundo de aposentadoria e, que a partir de agora terão de pagar mais para cobrir o rombo para poderem se aposentar.

O sindicato dos petroleiros na unidade da Six (usina de xisto da Petrobras), iniciou uma greve com a equipe de turno, devido uma mudança da tabela de turno de 8h para 6h, proposta pela Petrobras para atender uma decisão judicial, a qual os próprios petroleiros em greve moveram em 2006 contra a tabela de 8h.

A SIX vem lutando para apresentar sempre resultados positivos com a intenção de se manter ativa para o conglomerado Petrobras, tendo inclusive plantas de pesquisas que proporcionam lucros para as demais refinarias com os estudos e desenvolvimentos ali produzidos. Também desenvolveu um projeto grandioso, o Xisto Agrícola, o qual é promissor para a geração de fertilizantes tendo como base os subprodutos do xisto. Este projeto tem apoio de toda a sociedade, a qual vislumbra o barateamento dos insumos agrícolas e o aumento da produtividade, gerando mais riquezas para os produtores rurais e consequentemente crescimento do município.

O sindicato que propôs a ação e saiu vitorioso, teve o mérito reconhecido na justiça e a Petrobras tem agora uma divida com seus trabalhadores de turno, nada de errado quando a justiça é feita dentro das leis. A decisão de mudança da tabela de turno vem de encontro com o atendimento a decisão judicial, que não pode ser postergada “ad aeternum” devido a geração de passivo trabalhista e para atendimento a decisão da justiça que é imperativo. A mudança também é benéfica para a melhoria dos resultados da SIX.

Uma greve devido a mudança de tabela implantada para atender uma decisão judicial, em nada contribui para se chegar a uma solução. Se a justiça foi feita para ambos os lados, quando uma das partes se achar prejudicada, deve procurar a mesma justiça para restabelecer o que é justo. Aquele que achava estar certo e a justiça determina não estar, deve acatar as decisões e buscar outras alternativas para seguir adiante, sempre dentro da lei.

A Petrobras mesmo sendo perdedora da ação, buscou uma solução a qual não é aceita pelo sindicato. Se foi através da justiça buscado a correção da tabela e por consequência dela é necessário sua alteração, não é com greve que se resolve, mas através do diálogo e da mesma justiça que cometeu outra injustiça, se é que se pode dizer que houve.

A greve é tão somente um método extremista daqueles que não querem que a justiça seja feita, querem sair vitoriosos independente do que se diz na lei.

Na natureza, toda ação gera uma reação de mesma intensidade no sentido contrário. Na justiça, toda ação gera uma correção de mesma intensidade no sentido contrário.

Uma citação do Padre Antonio Vieira (1608-1697) que diz, “quem quer mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem”, resume bem o que se vê com a greve. É como uma pessoa viciada em jogos que ganha várias vezes e não sabe a hora de parar, acabando por perder tudo, assim são aqueles que não satisfeitos com o que é justo, acabam por tudo a perder.

Anúncios