Inegavelmente o PMDB traiu o PT, se empanturrou da corrupção até dar dor de barriga, chegara o momento que ou traíam seus resquícios de convicções de vida ou traíam o petismo. Os PMDBistas evangélicos foram o maior percalço do petismo, somente os bolivarianos como Renan e Requião continuam os apoiando. Já os que se consideram católicos, estes estão devidamente domesticados, como diria Gilberto Carvalho, grande mentor do PT.

O Brasil logo estará livre do petismo, do bolivarianismo, do socialismo do século XXI, que vários almejam, ou seja lá que nome ainda dirão para suas “jihads”. Uma luz se acendeu na mente de alguns parlamentares vendilhões, ops o Sergio Moro vai me pegar, aí pararam de se vender pela corrupção ao seus algozes, viram que isso causaria sua própria morte. O Congresso não aprovou a Censura da Mídia, nem os Conselhos não Eleitos que o PT tanto queria, faltou para dar continuidade no projeto de poder totalitário aos seus líderes, a exemplo da Venezuela.

Pobre venezuelanos, que deixaram serem enganados e agora amargam trabalhar 60 dias do ano nos campos de “concentração” agrícola para alimentar os líderes do nacional-socialismo venezuelano. Estes líderes, ficarão furiosos se o povo ficar de mimimi e não querer trabalhar forçadamente. Se não cumprirem as ordens, logo iniciarão o fuzilamento, para mostrar aos demais cidadãos o que ocorre com quem desrespeita o coletivismo.

Lula deve estar orgulhoso de Maduro, como lá se conseguiu implantar o socialismo e por aqui não. Tenho uma hipótese, faltou roubar mais das estatais, gastar mais dinheiro dos brasileiros com a compra de apoio, censurar a mídia para esconder a corrupção, fazer os conselhos populares para criar leis e destituir o congresso, hegemonizar o judiciário, espermear com dinheiro publico os intelectuais, artista e a mídia para apoiar o golpe. Faltou muita coisa, Lula subestimou a reação da população, não bastou ele desarmá-la, achou que convenceria todos, mas seu maior inimigo foi as redes sociais e a internet. Se projeto era infalível, mas foi traído pela tecnologia. Agora vai passar de “o cara” para viver “o carcere”.

Como disse o grande líder e populista que se considerava um ex-operário: “Na juventude, fui um trabalhador como vocês, lentamente abrindo caminho com o esforço, com o estudo e, acho que posso dizer também, com a fome.” Um chanceler do povo que tocava todas as notas da escala populista. A propaganda do partido voltada aos trabalhadores. A verdadeira mensagem do socialismo aos trabalhadores.  Um grande líder do Partido do Nacional-Socialismo dos Trabalhadores, o Fuhrer, Adolfo Hitler.

Já o grande líder do Partido dos Trabalhadores, o Cara, Lula da Silva.

Anúncios