As ruas se tornaram hoje o palco da política devido as manifestações contra e a favor do governo. Os políticos tem muito receio das ruas, sabem que ali mora um perigo para seu futuro e para sua credibilidade. Uma manifestação que começa pequena pode crescer e prejudicar a sua imagem. Esse é o poder que o povo tem, as ruas fazem parte da guerra política e a esquerda sabe utilizá-la muito bem, já a direita viveu distante das ruas e tem pouca atuação política a seu favor. É importante uma comparação entre essas manifestações para elucidar alguns fatos.

Assim como nas manifestações do dia 13/03 pró-impeachment, a mídia deu cobertura completa nas manifestações pró-governo do dia 18/03, com uma diferença, enquanto na primeira os repórteres circulavam livremente entre os manifestantes nas ruas, na segunda eles tiveram que fazer a cobertura do alto dos prédios e longe dos manifestantes, aqueles que se aventuraram ir até a rua, acabaram sendo agredidos por manifestantes mais odiosos com a mídia.

A polícia fez a segurança nos dois movimentos, garantindo a ordem e o direito a livre manifestação. No dia 13/03 eles não tiveram nenhuma ocorrência e somente fizeram revistas, pediram aos manifestantes para retirar as hastes das bandeiras e das faixas por segurança. No dia 18/03, conforme cobertura feita pelo Correio Braziliense, somente em Brasília a PM apreendeu, três foices, um machado, 20 facões, pedaços de pau, bambu e canivetes. A PM que foi cortejada pelos manifestantes no dia 13/03, fora hostilizada pelos manifestantes no dia 18/03. Neste dia, pelo microfone de um caminhão de som, o líder esbravejava palavras de ordem pedindo o fim da PM e dizendo que é uma instituição oriunda da ditadura.

Com 6,9 milhões de brasileiros nas ruas no dia 13/03, as pessoas pediam o fim da corrupção, a saída do atual governo que está acabando com a economia das famílias e em apoio às investigações da Lava-Jato e do juiz Sergio Moro. O mote utilizado pelos organizadores, como do MBL era #Esse Impeachment é Meu!, não sendo, portanto, pertencente a políticos da oposição. Os políticos que se aventuraram aparecer nas manifestações  foram rechaçados, passaram a maior vergonha pública. No dia 18/03, o público era  10 vezes menor das do dia 13/03, os manifestantes pró-governo, defendiam obviamente o atual governo afundado em atos de corrupção, defendiam o fim da Lava-Jato e portavam  cartazes como “Moro, Morra”. A rotulagem repetida frequentemente por eles era “Não Vai Ter Golpe” e “Fora Cunha”.

Os manifestantes no dia 13/03 vestiam as cores da bandeira do Brasil e foram livremente às ruas, eram pessoas de várias idades e classe social. No dia 18/03, a maioria portava bandeira vermelha e vestiam-se de vermelho, uma pesquisa constatou que 15% dos manifestantes eram funcionários públicos, houve vários transportes coletivos que trouxeram manifestantes.

Por fim, as manifestações do dia 13/03 foram marcadas como sendo a maior já registrada no Brasil, em defesa da justiça, do juiz Sergio Moro, das investigações  independente do partido, portanto, contra a corrupção. No dia 18/03 as manifestações foram marcadas pela defesa dos investigados por crimes de corrupção, entre eles o Lula, o governo e o partido, e também pelo fim das investigações, portanto, a favor da corrupção.

Publicação original na coluna Visão Política da Gazeta Informativa impressa de 31/03/2016.

link: http://www.gazetainformativa.com.br/

Anúncios